top of page

Déjà vu

Suaves são As mãos Que torcem seu pescoço. Pele e osso. Carne contra Carne. Quebra, sem perder o charme. Na gravata, um trato. Pro resto, nem um prato. Apenas um Decreto. Direto e Reto. Ou Obedece ou morre. Corre! E se esconda em si, O mais fundo que puder ir. Retroagimos à 64 Um país de patos Nadando em círculos No próprio currículo De fracasso. Escasso É o amor. Só há dor E a esperança De quem avança Contra maré Teimando em ficar de pé.

Yuri Cidade

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


Post: Blog2_Post
bottom of page