top of page

Desconhece-te

Tempo é divino. Dádiva é a mentira, ilusória e compulsiva, feito droga que alivia e alucina nos fazendo esquecer dores, crer em novos amores, sem arrependimentos posteriores. A verdade nada mais é que a qualidade utópica da mentira tão bem contada ao ponto de se sobrepor à fatos e formas, encontrando no interior, a dúvida necessária para se fazer questionável o que vimos agora bem diante de nossos olhos. Sem demora, permaneço inconstante, indo de instantes de lucidez e clarevidência, até monótonos largos lapsos temporais de ócio tedioso e arrastado. Pesado fardo. Crime seria me auto-condenar a passar o resto dos meus dias sem pensar e aceitar a plena satisfação com as teorias “concretas” que me fazem engolir à todo momento. Prefiro a companhia sincera do relento me incentivando à explorar novos talentos. Propenso ao choque, dou o toque e dispo meu ser de todos os filtros impostos pelo saber de quem nunca soube, mas afirma conhecer toda a verdade sobre a existência e sua missão dada por um ser onipresente que jamais se vê. Enigma rotineiro, me fez mais um marinheiro do navio do desconhecer. Na opção de falar ou calar-se para sempre, faço frente e rasgo o denso véu da noiva chamada certeza, recusando a mentirosa proeza de casar-me com a exatidão. Preferível então, o benefício da morte, pois dela ninguém sabe o futuro. Ou seja, nada mais que o desconhecido no seu nível mais puro. O velho nem sempre é clássico e experiente. Experimente o delicioso fruto proibido da árvore do divino novo e incorreto. Fazer o certo nem sempre é da verdade estar perto. Na era das nuvens, observo-as e espero a chuva de dúvidas que está prestes a desabar nas telhas do meu juízo. Amigo, se nada faz sentido, venha comigo e deixe o perigo devorar sua alma até se tornar nada mais do que aquilo que você é. O verdadeiro eu não se encontra no ser defronte ao reflexo. E sim no maravilhoso mundo duvidoso através do espelho. Como Alice, persiga seu coelho e perca-se no país das maravilhas, também conhecido como autoconhecimento.

Yuri Cidade

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O Uivo

Kommentare


Post: Blog2_Post
bottom of page